Novo Hyundai Sonata estreia inédito teto capaz de captar energia solar

Novo Hyundai Sonata estreia inédito teto capaz de captar energia solar

Com uma exposição de seis horas ao dia, painel solar promete gerar 1.300 km de autonomia extra à bateria elétrica do sedã

A nova geração do Hyundai Sonata estreia em sua versão híbrida um teto solar dotado de um painel para captação de energia solar. A tecnologia será disponibilizada, em princípio, a consumidores da Coreia do Sul e da América do Norte.

Além do painel solar, será instalado um controlador de voltagem que converterá a energia do sol em uma energia elétrica utilizável para o veículo.

De acordo com a Hyundai, a nova tecnologia deve recuperar por dia entre 30% e 60% da bateria do híbrido.


Caso o sedã fique exposto ao sol por seis horas ao dia, o painel solar gerará uma autonomia extra de cerca de 1.300 quilômetros ao ano. Parece muito, mas o número equivale a uma média diária nem tão impressionante assim: 3,53 km.


O primeiro modelo da marca a disponibilizar esse tipo de tecnologia será equipado com um motor 2.0 de quatro cilindros a gasolina que gera 152 cv.

Além do motor a combustão, uma unidade elétrica fornecerá ao veículo outros 52 cv, dando ao novo Sonata uma potência combinada de 195 cv que é transmitida por um câmbio automático de seis marchas.

A Hyundai ainda prometeu que o híbrido será capaz de alcançar um consumo de 24,5 km/l.

Mas a novidade não deve ser instalada apenas no Sonata. Segundo a empresa sul-coreana, os painéis deverão ser instalados em outros veículos da marca, sendo um importante auxílio na captação de energia.

“Estamos nos esforçando para expandir a aplicação da tecnologia para além da nossa linha de veículos ecologicamente corretos, passando também veículos com motores de combustão interna”, disse o vice-presidente global da Hyundai, Hei Won Yang, segundo o site britânico Auto Express.

Não há previsão para chegada da tecnologia ao Brasil.

Esta não é a primeira vez que um automóvel tenta captar energia solar.

Supercarros como o Fisker Karma já oferecem tal recurso. Modelos da Audi dos anos 2000, idem. A primeira geração do elétrico Nissan Leaf trazia um sistema similar ao do Sonata, porém com um painel muito menor, aplicado ao spoiler traseiro do modelo.

O ineditismo está na aplicação do recurso para modelos de cunho mais “popular” feitos por uma marca generalista e com intenção de transformar o sistema em um item de larga escala.







(Divulgação/Hyundai)